de olho no mensalão

pelo Movimento 31 de julho

Desagravo delirante a Lula compara mensalão ao golpe de 64

5 Comentários

NOSSA OPINIÃO

Uma nota de desagravo ao ex-presidente Lula, lançada hoje pelos presidentes de seis partidos da base aliada do governo, compara o debate na sociedade sobre o julgamento do mensalão com a conspiração para depor Getúlio Vargas em 1954 e com o golpe de 1964 que derrubou Jango.

Mais que um delírio político na tentativa de negar o envolvimento de Lula com a quadrilha do mensalão, esta nota está em linha com a correria no Senado para aprovar o novo ministro do STF, a tempo de interromper o julgamento em curso. Está em linha também com a palavra de ordem, inventada nesta semana nos laboratórios do PT, de que o STF está realizando um “julgamento de exceção”. Tudo isso se junta a pressões para que o julgamento não seja mais televionado e às sempre renovadas acusações contra a cobertura pela mídia.

Se por um lado a suspeita correria para usar a nomeação de Teori Zavascki para melar o julgamento ameaça produzir um dos maiores escândalos políticos do Brasil nos últimos tempos, os ataques ao julgamento, à cobertura da imprensa e ao debate na sociedade semeiam o terreno não só para desmoralizar o processo, mas também, para a perpetuação da impunidade no país e para impedir a republicanização do Poder Judiciário. Além disso, incentivam a guerra contra as instituições democráticas – notadamente a imprensa crítica.

Buscando desqualificar a justiça e restringir a imprensa, o PT enfraquece a democracia e, assim, reitera o projeto de perpetuação no poder custe o que custar, que já levou ao aparelhamento do estado, à união com as forças políticas mais retrógradas e à compra generalizada de apoios e consciências pela distribuição de bolsas, favores, verbas, patrocínios e a corrupção escancarada, que vem sendo provada no julgamento do mensalão.

Inicio

Anúncios

Autor: deolhonomensalao

O MOVIMENTO 31 DE JULHO é o responsável por este blog. Desde meados de 2011 o movimento vem organizando e participando de manifestações contra a corrupção e a impunidade, tais como: passeatas, comícios e também ações na Internet, realizadas em conjunto com outros grupos do Rio de Janeiro e de todo o Brasil. Promoveu o abaixo-assinado – SOS_ STF- pelo julgamento do Mensalão, o Troféu Algemas de Ouro e a Campanha do Pega Ladrão. Vem contribuindo para causas vencedoras, como o reconhecimento da constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa, a confirmação do poder do CNJ de investigar e punir irregularidades no Judiciário e a confirmação do julgamento do Mensalão, a maior conquista da sociedade contra a impunidade.

5 pensamentos sobre “Desagravo delirante a Lula compara mensalão ao golpe de 64

  1. O que mais me preocupa, é que em 1964, os GUERRILHEIROS estavam nas mãos dos militares, agora, os militares estão nas mãos dos GUERRILHEIROS…! É assustador ou não é?

    • Lúcio, às vezes eu faço uma grande comparação: eles dizem que nossos militares mataram e esfolaram os democratas ( leia-se subversivos)… e tecem loas aos comunistas de cuba, china e outras regiões que prenderam e mataram milhares de pessoas que eram contra seus ideais… se nossos militares tivessem agido assim, hoje esta caterva não estaria no poder, muito menos se locupletando com nosso dinheiro.

  2. Infelizmente o autor está correto… temos que, mais uma vez, lutar com nossas armas para que o julgamento continue. Já ouvi falar que o novo ministro iria se abster de votar… se verdade isto significa que ele continuará sem problemas, sem novas interrupções. A não ser que os outros dois que lá estão para tumultuar façam isto.

  3. Essa nota é um disparate sem precedente. Coisa de petista e seus asseclas mesmo, nada de novo, faz parte do DNA dessa gente

  4. “Se por um lado a suspeita correria para usar a nomeação de Teori Zavascki para melar o julgamento ameaça produzir um dos maiores escândalos políticos do Brasil nos últimos tempos, os ataques ao julgamento, à cobertura da imprensa e ao debate na sociedade semeiam o terreno não só para desmoralizar o processo, mas também, para a perpetuação da impunidade no país e para impedir a republicanização do Poder Judiciário. Além disso, incentivam a guerra contra as instituições democráticas – notadamente a imprensa crítica.”

    PERFEITO!