de olho no mensalão

pelo Movimento 31 de julho

O Mensalão e as estratégias postergatóras

NOSSA OPINIÃO

Dia sem maiores novidades na sessão. Contudo, a condenação de Kátia Rabello, inédita por tratar-se de “banqueira”, parece ter alertado o governo de que o julgamento do mensalão é realmente “à vera”. Talvez assustada com o “efeito mensalão” nas prévias eleitorais, Dilma aproveitou o feriadão para confirmar o que muitos analistas receavam com relação ao julgamento: a nomeação de um novo ministro que pode se desdobrar em (legítimo) direito à vista do processo e sua conseqüente paralisação, sem previsão de prazo.

Enquanto a indicação de Rosa Weber ocorreu meses após a vacância de ministro, a de Teori Zavacski uma semana. Causa espanto que a possibilidade foi veiculada à exaustão, sem um único desmentido de Dilma ou de sua assessoria que, ao contrário, afirmava não se daria antes do final do julgamento, a tal ponto de repreender assessores pelo vazamento de nomes supostamente cotados para a vaga.

Apesar de não haver provas materiais, a possível postergação do mensalão através dessa indicação imediata, fora do padrão, apesar da roupagem legal, reforça a suspeição de manobra protelatória do processo pelos aliados dos réus. Barbas de molho. Como já disse Cesar Peluso, “a eficácia dos indícios é a mesma eficácia das provas”.

Vale ressaltar que Zavascki absolveu Antonio Palocci por improbidade administrativa em 2010. A conferir.

Inicio

Anúncios

Autor: deolhonomensalao

O MOVIMENTO 31 DE JULHO é o responsável por este blog. Desde meados de 2011 o movimento vem organizando e participando de manifestações contra a corrupção e a impunidade, tais como: passeatas, comícios e também ações na Internet, realizadas em conjunto com outros grupos do Rio de Janeiro e de todo o Brasil. Promoveu o abaixo-assinado – SOS_ STF- pelo julgamento do Mensalão, o Troféu Algemas de Ouro e a Campanha do Pega Ladrão. Vem contribuindo para causas vencedoras, como o reconhecimento da constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa, a confirmação do poder do CNJ de investigar e punir irregularidades no Judiciário e a confirmação do julgamento do Mensalão, a maior conquista da sociedade contra a impunidade.

Os comentários estão desativados.