de olho no mensalão

pelo Movimento 31 de julho

Mensalão em fatos e foto

NOSSA OPINIÃO

Henrique Pizzolato e João Paulo Cunha receberam, pelas mãos de terceira pessoa, dinheiro (em espécie) no Banco Rural, procedente de uma empresa de Marcos Valério. Ambos, não declararam o recebimento. O primeiro, diretor do BB, segundo o ministro Lewandowski foi considerado culpado e incurso nos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro. O segundo, deputado pelo PT, foi inocentado pelo mesmo ministro, 24 horas após o julgamento do primeiro.

Nenhuma das testemunhas arroladas na defesa de Pizzolato foi considerada no julgamento de Lewandowski; no caso de João Paulo Cunha, pesaram a favor da decisão declarações de Delúbio Soares, acusado de pertencer ao núcleo político do mensalão, sobre o qual pesam acusações mais graves do que o deputado, e de outros parlamentares do PT.

A esdrúxula decisão não surpreende nem se contrapõe às suas atitudes no processo, coroadas pelo esboço de chantagem à Corte, ao ameaçar renunciar à função de revisor.  A nós só causa estranheza a ausência do Lewandowski na foto dos advogados, às gargalhadas, ainda no STF, comemorando a atuação do líder da defesa.

Inicio

Anúncios

Autor: deolhonomensalao

O MOVIMENTO 31 DE JULHO é o responsável por este blog. Desde meados de 2011 o movimento vem organizando e participando de manifestações contra a corrupção e a impunidade, tais como: passeatas, comícios e também ações na Internet, realizadas em conjunto com outros grupos do Rio de Janeiro e de todo o Brasil. Promoveu o abaixo-assinado – SOS_ STF- pelo julgamento do Mensalão, o Troféu Algemas de Ouro e a Campanha do Pega Ladrão. Vem contribuindo para causas vencedoras, como o reconhecimento da constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa, a confirmação do poder do CNJ de investigar e punir irregularidades no Judiciário e a confirmação do julgamento do Mensalão, a maior conquista da sociedade contra a impunidade.

Os comentários estão desativados.