de olho no mensalão

pelo Movimento 31 de julho

Mensalão: é tudo muito estranho…

Isenção de ex-diretor do BB pelo TCU é ‘estranha’, diz Pedro Simon – Senador relaciona decisão do tribunal ao início do julgamento do mensalão

O GLOBO

BRASÍLIA – A decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), de isentar o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil (BB) Henrique Pizzolato de responsabilidade no desvio de dinheiro para uma das agências de Marcos Valério, é considerada “estranha” pelo senador Pedro Simon (PMDB-RS). Nesta sexta-feira, o senador relacionou a decisão do TCU ao começo do julgamento do escândalo pelo Supremo Tribunal Federal (STF), marcado para 2 de agosto.

– Esta decisão do TCU, anunciada quando faltam poucos dias para o julgamento do mensalão, causa surpresa. Ainda mais porque contraria o parecer da auditoria técnica e de fiscalização do próprio tribunal – afirmou o senador.

A decisão, que teve como base voto da ministra Ana Arraes, contraria parecer da área técnica e do Ministério Público do TCU. Pelo parecer do procurador Paulo Bugarin, Pizzolato e outros dois ex-colegas de diretoria — Cláudio de Castro Vasconcelos e Renato Luiz Belineti — deveriam ser multados e obrigados a devolver R$ 5 milhões aos cofres do Banco do Brasil. No caso de Pizzolato e Cláudio, a multa é de R$ 3,7 milhões.

A ministra teve um entendimento oposto e usou uma lei aprovada em 2010 para rejeitar as acusações sobre o suposto envolvimento de Pizzolato em irregularidades ocorridas entre 2003 e 2005 (…)”

Leia matéria completa aqui

Inicio

Anúncios

Autor: deolhonomensalao

O MOVIMENTO 31 DE JULHO é o responsável por este blog. Desde meados de 2011 o movimento vem organizando e participando de manifestações contra a corrupção e a impunidade, tais como: passeatas, comícios e também ações na Internet, realizadas em conjunto com outros grupos do Rio de Janeiro e de todo o Brasil. Promoveu o abaixo-assinado – SOS_ STF- pelo julgamento do Mensalão, o Troféu Algemas de Ouro e a Campanha do Pega Ladrão. Vem contribuindo para causas vencedoras, como o reconhecimento da constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa, a confirmação do poder do CNJ de investigar e punir irregularidades no Judiciário e a confirmação do julgamento do Mensalão, a maior conquista da sociedade contra a impunidade.

Os comentários estão desativados.